17 de dez de 2014

Thug Love - Capítulo 38 - Kidnapping



Caminhamos em direção ao carro do Justin e adentramos dentro do mesmo e logo deu partida, eu ainda estava estática, não sabia o que pensar, minha irmã, uma vagabunda, não estava se valorizando, se exibindo na frente daquelas pessoas, o rosto de Justin estava transformado, ele estava totalmente vermelho e seu maxilar estava travado; ele estava muito nervoso, eu não tinha prestado a atenção na sua conversa com aquele cara, em casa tentaria conversar com ele.

- Algum problema? -tomei um susto ao ouvir sua voz, estava distraída.

- Não, nenhum. -murmurei.

Ele se calou e continuou dirigindo, me praguejava por não ter prestado atenção na sua conversa com aquele cara e sim em minha irmã. Justin ainda mantinha seu semblante sério e fechado. Um nervosivo ou até mesmo trauma começou a me rondar ao me lembra da última vez em que fui em uma festa assim com Justin. Assim que o carro cruzou a esquina da mansão meu corpo relaxou, entramos dentro da mesma e logo o carro parou dentro da garagem. Desci do mesmo e fui andando atrás de Justin que andava em direção ao escritório.


- Não acha que está tarde para ficar no escritório?

- Isso não é da sua conta. - e o Justin babaca está de volta.

- Calma,  só estou dizendo que já está tarde,  dorme um pouco e amanhã resolve seus problemas.

- Vem cá,  quem você pensa que é para me dizer o que fazer? -eu não entendi a sua mudança se humor completamente derrepente e a sua busca por uma discussão.

- Justin, olha isso não é hora para discutir. Estou falando isso para o seu bem. -eu estava fazendo de tudo para manter a minha calma.

- Acabou? Ótimo pois eu irei ficar aqui.

- Quem era aquele cara?

- Eu já te disse,  meu novo rival.  Agora se manda da aqui,  vaza.

- Justin eu não sou sua cadelinha,  que ele é o seu novo rival você já me disse, mas eu quero mais que isso.

- Kylie eu mandei você sair daqui. -ele passou as suas mãos sobre o cabelo como se aquele ato iria o acalma-lo.

- Não saio daqui até você me responder.  -isso era completamente louco da minha parte está o desafiando assim,  do modo em que ele estava seria capaz de matar qualquer um,  mas eu não sairia dali até saber o que estava acontecendo.

- É a última vez em que eu vou te pedir,  saia.daqui.agora. -ele disse pausadamente, o jeito que ele me fitava estava me dando medo,  mas se eu queria respostas eu teria que continuar ali. Talvez eu deveria esperar um pouco ou até mesmo esperar até amanhã,  mas se eu não soubesse do que estava acontecendo eu nem ao menos conseguiria dormir.

- Não irei sair,  como eu disse não sou sua cadelinha. -aquilo foi a gota d'água para ele que  logo explodiu com gritos.

- QUE PORRA,  SERA QUE VOCE NÃO APRENDE?  EU MANDO EM VOCÊ,  SE VOCÊ MORA NO MESMO TETO QUE EU,  SE VOCÊ DEPENDE DO MEU DINHEIRO, EU MANDO EM VOCÊ,  PORTANTO TRATE MEIO DE SUBIR AGORA CARALHO.

- EU JÁ DISSE QUE NÃO VOU SUBIR.

- Ah mas você vai,  se não quer por bem irá por mal,  mas antes você vai aprender a me respeitar. -seus olhos estavam transbordando ódio,  eu realmente tinha o irritado e agora estava com medo do que ele iria fazer. Ele caminhou em minha direção e levantou sua mão para me acertar com uma bofetada.

- Irá me bater Bieber?  Pois bem,  vá em frente,  isso irá mostrar o quanto você mudou e o quanto filho da puta você é. Vá em frente,  anda me bata.


Meu coração estava disparado com medo de que ele não ligasse para as minhas palavras e mesmo assim me bater,  mas meu discurso foi bom o suficiente. Ele me olhou nos olhos e fui abaixando sua mão. Ficamos cara a cara e seu rosto que antes estava vermelho e o seu maxilar travado,  logo relaxou e um semblante de culpa invadiu seu rosto.

- Me desculpe. -ele deu um soco na parede ao seu lado e meu corpo deu um pulo,  devido ao susto e ao barulho. Ele me encarou e deu um meio sorriso,  qual o nível de bipolaridade desse garoto? - Tem razão,  amanhã eu resolvo meus esquemas.

Ele andou em direção a porta saindo da mesma e me deixando para trás,  saí de seu escritório que era no andar de baixo e olhei em direção às escadas e Justin ja estava no meio delas. Caminhei em direção a mesma e comecei a subir. Quando cheguei no corredor do andar de cima a porta do quarto ja estava aberta,  entrando no mesmo o barulho do chuveiro denunciava que ele estava no banho. Tirei meus saltos e meu vestido me enrolando em um roupão esperando Justin terminar o seu banho para que eu tomasse o meu.  Parecia uma eternidade mas logo o barulho da água caindo acabou e em segundos a porta foi aberta, revelando aquele Deus grego apenas com uma toalha amarrada na cintura e com o corpo completamente molhando, seria uma pena se nós dois não tivéssemos brigados a minutos atrás. Ele pareceu perceber que eu estava quase caindo aos seus pés que soltou uma risadinha irônica, me toquei do que eu estava fazendo e logo entrei para dentro do banheiro, retirando a minha maquiagem e logo comecei a tomar o meu precioso banho.

Não sei ao exato quantos minutos eu fiquei ali dentro, mas sei que consegui refletir sobre tudo que está acontecendo em minha volta, Justin nervoso por um motivo que eu não sei o qual, e a aparição da minha irmã; que se tornou uma vadia e que no caso, é a puta fixa do cara que quer a cabeça do Justin, Eram muitas coisas para digerir. Desliguei o chuveiro e me enrolei em uma toalha e indo rapidamente em direção ao closet, passei um creme de pele e vesti o meu baby doll. Voltando para quarto, percebi o quanto eu demorei no banho, Justin já estava dormindo. Apaguei a luz do quarto e me deitei e me enrolei debaixo das cobertas virando para o canto, logo senti mãos me envolverem e soltei um pequeno sorriso, e logo adormeci.



No dia seguinte acordei e passei as mãos sobre a cama e o lado em que Justin dormia já se encontrava sem ele e frio, já era de se esperar. Me levantei caminhei em direção ao banheiro, tomei meu banho e fiz minha higiene pessoal, vesti um short jeans e uma regata preta, calcei meus chinelos e fiz um rabo de cavalo alto em meus cabelos e logo desci para tomar meu café e saber onde Justin estava, não me assustaria ao saber que ele já tinha ido para o galpão mas iria perguntar a Rita, eu tinha também uma dúvida, o que tinha acontecido com Kevin e a Carly, aquele garotinho lindo e sua irmã. Me sentei sobre o balcão e a mesa já tinha sido recolhida.

-Deseja alguma coisa Senhora Kylie?

-Por favor Rita, apenas Kylie, poderia fazer uma vitamina de morango para mim?

-Claro. 

-Justin disse para onde ele foi Rita?

-Ele está no escritório senhora, desculpe Kylie. -ela soltou um sorriso tímido. 

-Obrigada e sem problemas. -estava feliz por saber que Justin estava em casa, mas ainda estava brava com ele. Enquanto ela pegava os morangos e o leite na geladeira resolvi perguntar a tal da Carly e Kevin. -Rita. -a chamei, ela logo parou o que estava fazendo e me encarou.

-Sim?

-Você sabe o que aconteceu com aquela menina e aquele garotinho que o Justin trouxe para cá? A tal de Carly e Kevin?

-Bom, eu não entendi muito sobre o ocorrido, mas na semana em que vocês estavam indo viajar o senhor Bieber tinha levado eles até a casa antiga onde eles moravam e dado uma boa quantia para que eles sobrevivessem. 

-Ah sim, obrigada.

Ela deu apenas um singelo sorriso e continuou o que estava fazendo, espero que o Justin não tenha mais nenhum tipo de contato com essa garota.Minha vitamina logo ficou pronta, tomei e fui em direção a "sala de dança", estava com saudades daqui, liguei o som que logo começou a tocar uma música agitada e comecei a dançar, em menos de alguns minutos sentir mãos fortes me abraçar e dançar junto comigo, seu perfume tomou conta do local me embriagando por completo pelo seu cheiro. Me virei e coloquei as minhas mãos em sua nuca e ele em minha cintura.

-Ainda estou brava com você.

-Eu já pedi desculpas, estava muito nervoso e descontei em você. -ele desceu seu rosto e começou a dar beijos molhados em meu pescoço. 

-Justin, para, primeiro quero saber o motivo de você ter ficado tão nervoso e quem era aquele cara. -ele soltou um suspiro alto e levantou a sua cabeça me encarando.

-Eu não quero você envolvida nisso.

-Mais do que eu já estou envolvida?

-Como você é chata.-ele passou as mãos no seu cabelo bagunçando seu topete perfeito. -Meu pai está tramando uma para cima de mim, e eu sei que em poucos dias ele irá atacar, não sei ao certo o que ele irá fazer mas será algo grande para me derrubar, por isso ele se juntou com Levir, aquele cara de ontem, Levir é o terceiro maior traficante daqui, e também quer a minha cabeça só estava esperando a oportunidade aparecer e ela apareceu. Eu e os caras estamos planejando um plano, mas caso ele não der certo podemos nos considerar mortos, pois Jeremy e Levir não estão para brincadeiras.  


Havia se passo três dias após Justin ter me contado o que estava acontecendo, e eu estava apreensiva, havia as possibilidades do plano de Justin não dar certo e isso acabaria comigo, não suportaria ver ele morto, sabia que Jeremy não estava para brincadeiras, mas eu queria entender o motivo de um pai querer matar o próprio filho, eu não iria perguntar isso ao Justin, não agora que ele estava preocupado com tudo. Anny havia me ligado hoje pela manhã e disse que estava com saudades, chegamos até chorar, ela queria passar alguns dias aqui, mas expliquei para ela que não era um bom momento e ela entendeu.

 Caitlin havia me pedido para encontra-la hoje no shopping, pois tinha queria uma ajuda para escolher o seu vestido de formatura. Justin havia me alertado para não sair de casa esses dias, mas depois que implorei muito ele cedeu, mas disse que era para voltar rápido.
Me arrumei e passei no seu escritório para me despedir.

-Estou indo. -coloquei apenas a cabeça para dentro de sua sala e ele parou o que estava fazendo e me encarou.

-Não vai me dar nem um beijo? -sorri com o seu pedido e caminhei em sua direção, sentando em uma de suas pernas e logo lhe dei um beijo, ele encerrou o mesmo com três selinhos no final. -Não demore.

-Tudo bem, amo você. -ele deu um sorriso e eu lhe dei mais um selinho, não esperaria um "Eu também te amo", mas isso não me afetava mais como antigamente. Justin tinha pedido que um de seus seguranças me levasse até o shopping e quando eu viesse embora, pediu que eu o ligasse para mandar uma escolta para o carro de Caitlin já que ela me deixaria aqui.

-Obrigada. -agradeci ao segurança que estava dirigindo o carro que apenas fez um maneio de cabeça. Eu tinha marcado com Cait de encontra-la na praça de alimentação, comecei a caminhar dentro do shopping e estava com uma sensação de que estava sendo perseguida, isso poderia ser apenas coisa da minha cabeça já que Justin havia me dado mil e uma recomendações e me alertado muito. Comecei a andar rápido e olhando para trás de cinco em cinco segundos, as pessoas me olhavam como se eu fosse uma louca, mas eu não estava me importando, só queria chegar logo na praça de alimentação e encontrar a Caitlin.

Senti uma mão forte me puxar e tampar a minha boca, olhando rápido pude perceber que estavam me levando para alá de funcionários, meus gritos eram abafados por aquela mão gigante e podre que esta em minha boca, eu tentei morder a sua mão na tentativa de me soltar mas quando o cara percebeu colocou um cano gélido em minhas costas me fazendo gelar por completo, era uma arma.

-Shiii, quietinha, apenas ande. -ele sussurrou, e um pânico tremendo começou a me dominar. Comecei a andar com as minhas pernas bambas, as pessoas que estavam na área de funcionários, todos estavam rendidos e me olhavam com um olhar de pena. Passamos por algumas portas e chegamos a uma saída de emergência, havia dois carros pretos ali, o cara que esta com a arma em minha cintura começou a me empurrar me incentivando a andar mais rápido. O outro cara que estava parado ao lado do carro logo estava com um pano branco em suas mãos, ele logo chegou com aquele pano próximo ao meu rosto e o colocou em meu nariz, eu me debati na tentativa de impedi-lo mas foi em vão, o homem que antes estava com a arma em minha cintura, segurou forte em meus braços. Logo aquele cheiro forte começou a fazer efeito sobre meu corpo e eu logo estava perdendo meus sentidos, a unica coisa em que eu me lembro foi deles me jogando com tudo ali dentro do porta-malas, depois disso apaguei.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Oi, me desculpem ter postado só agora eu iria postar de madrugada mas eu estava digitando e acabei dormindo, desculpem porque ficou pequeno mas eu não poderia colocar mais coisas nesse capítulo, o próximo capítulo vai ser grande, bom vocês já imaginam o porque. Qual será a reação do Justin ao saber que a Kylie esta sendo sequestrada? 

ATÉ SEXTA.

12 de dez de 2014

Thug Love - Capítulo 37 - His new rival



Ele não havia me deixado, ele estava ali agarrando a minha cintura. Como sempre,  ele estava atrasado,  quando escutei a sua voz rouca sussurrando em meu ouvido eu me derrete. Esqueci totalmente de qual quer possibilidade disto não dar certo. Me virei e encarei aqueles olhos Mel que me alucinava,  mesmo com a escuro da noite - Pelo o local não ser iluminado- eu ainda conseguia ver perfeitamente seus traços. Céus como eu sou apaixonada por esse cara. 
Justin ficou me encarando e logo me puxou mais para ele,  colocou a sua mão em minha nuca e iniciamos um beijo. E aqui estão de volta,  todas as borboletas no estômago,  as pernas bambas e todos os meus sentimentos por esse vagabundo. Era um beijo lento,  carregado de saudade e amor da minha parte.  Partimos o beijo com três selinhos.

- Idiota. -disse dando um tapa em seu braço.

- Por que não apareceu logo assim que me viu?

- Foi engraçado ver você dando o seu discurso frustada com você mesma.

- Idiota!

Ele soltou uma risadinha e saiu me puxando ao lado oposto de onde estávamos e lá estava o jatinho, como eu não tinha visto? Subimos as escadas do mesmo e entramos, era confortável. Sentamos em uma poltrona,  um ao lado do outro e ficamos esperando o jato decolar. Me virei para o Justin e fiquei o encarando,  era engraçado eu ter fugido dele,  ter o abominado por algum tempo e olha agora onde eu estou.  Ao seu lado,  dentro do jatinho dele,  voltando para a mansão dele.  Eu posso fugir de tudo,  posso tentar esconder os meus sentimentos mas ele sempre será o dono deles. Eu posso passar meses ou anos sem ve-lo mas quando nós reencontrarmos  vai ser como a primeira vez.  Meu coração disparado saindo pela boca,  borboletas no estômago e pernas bambas. Eu nunca vou me cansar de você Justin Bieber. Por mais que eu fuja de todos esses sentimentos.

- Tira uma foto que dura mais.

- Idiota!

- Eu já perdi as contas de quantos idiotas você já me chamou essa noite.

- Eu odeio você.

- Eu sei que não afinal,  eu sou o homem da sua vida.

Olhei para ele incrédula e ele soltou um sorriso cínico. Idiota! Ele segurou meu queixo e me deu um selinho. Quem é você e o que fez com o Justin que eu conheço.

- Vamos tentar ta legal?-Eu realmente estava surpresa com as atitudes do Justin, talvez seja ao momentâneo, mas era estranho ver aquele Justin rude, ignorante e bruto conversando assim comigo.

- O que aconteceu com você?

- Porta Kylie eu to aqui, tentando ter algo com você coisa que você sempre quis,  tentando te corresponder e você ainda vem com essa?  Vai se foder. -Ele levantou todo estressadinho e se sentou em uma poltrona mais afastada, eu e minha boca grande.

 - Justin,  vem aqui deixa de ser idiota.  -me sentei ao seu lado- eu só disse aquilo porque é estranho para mim ver você assim comigo, eu  não estou achando ruim,  pelo a contrario eu to amando, me desculpe é que é diferente, mas eu estou amando, anda vamos voltar para lá. -Ele se levantou e fui caminhando na frente e ele me abraçando pela cintura dando beijinhos no meu pescoço. -Ei, para esta fazendo cócegas. 

Ele deu um risinho e logo sentamos novamente, eu mal tinha reparado que já haviamos decolado a um bom tempo, Justin pegou seu Ipod e colocou seus fones enquanto eu encostava minha cabeça em seu ombro e adormeci. 

-Vamos Kylie, anda, acorda. -acordei com um ogro me balançando.

-Seja mais delicado, obrigada.

-Porra, já faz mais de meia hora que eu to tentando te acordar, você dorme pra caralho, além de roncar muito né.

-Idiota eu não ronco. -disse me levantando e dando um soco em seu peito que aposto que não causou efeito algum sobre ele, ele riu e saiu me puxando. Descemos do jatinho ainda era de madrugada e do lado de fora haviam duas SUVs pretas e a Ferrari branca do Justin, estranhei ver o Justin com escolta, uma coisa que era tão rara, depois pergunto o porque para ele. Seus seguranças pegaram nossas malas e entramos dentro do carro. Justin deu partida e eu liguei o rádio cantarolei a música aleatória que passava na rádio e Justin colocou sua mão em minha coxa, olhei para mesma e sorri, ele não percebeu pois sua atenção ainda permanecia na estrada, minutos depois já estávamos enfrente ao portão que logo foi aberto e entramos, Justin estacionou seu carro e descemos. A casa estava toda escura, todos ainda deviam estar dormindo. Fomos entrando e Justin foi acendendo todas as luzes, estava tudo do jeito que eu me lembrava.

- Não acha que está tarde para ligar todas as luzes? Os outros estão dormindo.

-Os caras não moram mais aqui, e eles estavam comigo lá na Califórnia mas vieram primeiro e já foram pra suas casas.

-Oh, sério?

-Sim, mas não se preocupe eles sempre estão vindo aqui, vamos subir?

-Claro.

Um dos seguranças havia deixado nossas malas na sala, Justin pegou elas e começou a subir as escadas, comecei a subir atrás dele e parei enfrente a porta do meu quarto mas Justin continuou a andar em direção ao seu quarto no final do corredor, deve ter se esquecido que está com a minha mala. Ele estava pronto para empurrar a porta com os pés já que suas mãos estavam ocupadas quando eu o chamei.

-Justin? -ele parou o que estava fazendo e olhou em minha direção. -Meu quarto é aqui, se esqueceu?

-Vamos tentar não é mesmo? Isso inclui você dormir aqui. -ele entrou dentro do quarto e eu fiquei parada no corredor estática tentando processar isso tudo, meu quarto agora é o mesmo que o dele, vamos dormir juntos todos os dias, é isso mesmo que eu ouvi? Eu irei dormir com ele. Me beslique se isso for um sonho.

-Vai ficar ai parada? -ele chegou só a cabeça do lado de fora do quarto, despertei dos meus pensamentos e fui caminhando em direção ao quarto as roupas que ele estava vestida estava vestido estavam todas jogadas pelo quarto e a porta do banheiro estava encostada. Como dormir durante a nossa vinda para cá, acabei perdendo totalmente o sono. O barulho do chuveiro sendo ligado avisava que Justin tinha entrado para o banho, fui em meu antigo quarto e também as coisa ainda estavam nos seus devidos lugares, fui em direção ao meu closet e peguei um baby doll, a casa estava totalmente silenciosa por ser madrugada, estava morrendo de medo então tomaria banho no quarto do Justin que agora também era meu, depois que ele acabasse. Corri para o quarto de novo, coloquei as malas no closet, como estava sem sono, depois do banho iria arrumar as coisas ali, recolhi todas as suas roupas e entrei dentro do banheiro para colocar suas roupas no cesto. Justin estava de costas lavando seu cabelo, não consegui evitar de não olhar para aquela bunda maravilhosa e aquelas costas perfeitas, ele se virou e eu tomei um susto logo corando por ele ter visto que eu estava o tarando. Ele abriu o box do banheiro e começou a caminhar em minha direção com uma cara de safado. Me puxou pela cintura colando nossos corpos, me molhando inteira e tendo o seu membro roçando em mim. Eu não conseguia falar nada. Ele começou a tirar peça por peça da minha roupa e me puxou para dentro do box.

Trocamos algumas carícias, mas nada além disso, obvio que com algumas mãos bobas do Justin, mas não rolou nada.Justin vestiu uma box e eu vesti o meu baby doll, ele se deitou na cama e eu fui em direção ao closet para arrumar o mesmo.

-Ei o que você está fazendo?

-Eu perdi o sono, vou arrumar nossas roupas aqui.

-Não, deixa isso para amanhã, deita aqui comigo agora.

Bufei, apaguei a luz do closet e a do quarto também e caminhei as escuras para a cama, me deitei e me enrolei no edredom logo senti as mãos de Justin colocando nossos corpos, para quem havia perdido o sono eu adormeci muito rápido.


Hoje fazia duas semanas em que eu havia voltado para cá estava tudo ótimo, no dia seguinte em que eu havia chegado os meninos e a Caitlin havia vindo para cá, e digamos que eu e o Justin estávamos nos dando muito bem, bem até demais, mas nesses últimos dois dias eu não tinha lhe visto muito bem, sempre estava chegando tarde demais devido alguns problemas, problemas que ele não me falava o motivo. Pensei na possibilidade dele estar com alguma mulher mas descartei depois que perguntei Caitlin e ela disse que realmente eles estão com alguns problemas. Hoje pelo menos ele veio almoçar e disse que teríamos uma festa de um cara para ir, a festa seria de gala então era para eu chamar Caitlin para me ajudar com o vestido, depois disso ele terminou de comer, foi em seu escritório e logo saiu novamente. Terminei meu almoço e liguei para a Caitlin e agora estou esperando ela chegar para irmos para o shopping, logo escutei uma buzina e era ela.

-Oi! -disse entrando dentro do seu carro e lhe dando um beijo na bochecha.

-Oi! Animada?

-De verdade? Não, nem um pouco, eu nem sei de quem é essa festa e da última vez que eu fui em uma não deu muito certo.

-Relaxa vai dar tudo certo, é só uma festa de negócios.

Suspirei derrotada e fomos para o shopping, passamos em mil lojas e até que encontrei um perfeito, comemos alguma coisa por lá e logo fomos para casa novamente, Caitlin disse que precisava ir porque tinha um compromisso. Justin pediu que eu ficasse pronta as oito, ainda eram cinco e meia, então tinha um pouco de tempo ainda, desci para a cozinha e comi um pedaço de bolo de chocolate que havia ali, depois lavei as coisas que sujei e subi para o quarto e foi tomar meu banho, assim que terminei me enrolei em um roupão e fui fazer me minha maquiagem, prendi meu cabelo em um coque para que ficasse com alguns cachos na ponta, assim que terminei a maquiagem foi colocar meu vestido não era aquela coisa chamativa, mas era bonito, coloquei meus brincos e quando me sentei na cama para colocar meus saltos Justin entrou no quarto já pronto, maravilhoso com o seu terno preto, sempre com seu topete e um ray ban, aonde ele se arrumou? Terminei de calçar meus saltos e me levantei caminhando em sua direção.

- Como estou? -perguntei colocando a mão na cintura.

- Maravilhosa. -ele fez sinal para que eu desse uma "voltinha" dei uma risadinha e assim fiz, ele deu um tapa em minha bunda e eu o reprendi com o olhar. -Vamos?

-Só um minutinho. -corri para passar meu perfume e pronto, estava pronta, Justin pediu para que eu fosse na frente, tenho certeza que era só para ele olhar para a minha bunda mas tudo bem.Fomos em direção a garagem e fomos no seu batmovel, durante o caminho liguei o rádio e fiquei olhando para a janela, algo ainda me dizia que não seria uma boa ir nessa festa, mas deveria ser algo da minha cabeça, trauma talvez. Relaxei me encostando totalmente no banco e suspirei.

-Você esta bem? -Justin perguntou olhando rapidamente para mim, assenti com a cabeça e ele não disse mas nada, logo chegamos no local da festa, era em uma mansão, era bonita, não tanto quando a do Justin mas sim, era linda. Saímos do carro e Justin passou seus braços por minha cintura e caminhamos em direção a entrada, passamos pela porta principal atraindo os olhares de praticamente todo mundo ali, Justin continuou caminhando era difícil saber para onde exatamente onde ele estava olhando, mas ele caminhava lentamente parecendo que analisando o local, estranhei Ryan e Chaz não ter vindo então perguntei.

- Por que os meninos não vieram? -perguntei perto do seu ouvido.

-Estão ocupados.

Algumas pessoas pararam Justin para cumprimentar, eu apenas observava aquelas pessoas que ali havia, vadias sendo acompanhantes de velhos nojentos, algumas sentadas em colo de outros, um grupinho de mulheres mais velhas que com certeza estavam falando de jóias ou do quanto de dinheiro o marido delas tinham. Justin me puxou e saímos andando novamente perto do bar, ali havia uma pequena aglomeração de pessoas, Justin segurou forte em minha cintura e sussurrou.

- Sem sorrisos, seja formal iremos conhecer meu novo inimigo.

Senti um calafrio percorrer meu corpo e eu apenas balancei a cabeça assentindo, na medida em que fomos andando as pessoas iam abrindo espaço para que nós dois passássemos, paramos em frente a um cara não tão velho, aparentava ter 30 anos, moreno, estava de terno e algumas correntes no pescoço, meu coração disparou e eu congelei, fiquei estática assim que a mulher sentada em seu colo levantou a cabeça e eu não queria acreditar no que eu estava vendo; Kendall, sentada ali no colo do novo rival do cara que eu amo.  

- Aqui está o famoso Justin Bieber. -o cara se levantou e se curvou e fez uma referencia irônica como se o Justin fosse um rei, Justin travou o seu maxilar e levantou as sobrancelhas para o cara a nossa frente, meu olhos não saim da Kendall, a mesma me olhava com o um olhar irônico e a sobrancelhas arqueadas, eu não entendia o porque. Aquilo só podia ser algum blefe meu, não podia ser real, ela saiu do orfanato para ser modelo, todas as minhas respostas estavam aqui, agora diante dos meus olhos, eu só não queria aceitar. Tudo bem que Justin é o pior de todos, mas eu não me comportava  como a "vadia do chefe", era nojento o jeito em que ela estava, seu vestido era curto e tinha um decote enorme, ela estava com um batom vermelho totalmente chamativo, ela se sentou na cadeira em que aquele cara estava sentado e cruzou as pernas balançando uma delas e enrolando as pontas do cabelo. Eu não prestava a atenção na troca de farpas que o Justin e o cara estavam soltando, eu não conseguia tirar meus olhos da minha irmã, que havia se tornado uma vadia do chefe.

Parei de encara-la apenas quando Justin sacou sua arma para o cara que estava na nossa frente, o mesmo um sorriso debochado e levantou suas mãos como se estivesse se rendendo, Justin o encarou e guardou sua arma, segurou forte em minha cintura e caminhamos em direção a saída, antes de passarmos pela porta dei uma ultima olhada para onde Kendall estava, ela olhava para mim, quando viu que eu me virei, soltou um sorriso cínico, mandou um beijinho e acenou.

Nesse momento eu tive a plena certeza de que para ela, eu não era mais a sua irmã, e sim sua nova rival.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Desculpa qualquer coisa. Espero que tenham gostado.

6 de dez de 2014

Thug Love - Capítulo 36 - I thought you were not coming


Nem eu entendia muito o porquê da minha pergunta. Mas eu precisava saber se realmente ele gostava um pouco de  mim.  Nem que fosse um pouco.  Não estava esperando por um eu te amo.  Mas eu precisava olhar no fundo dos seus olhos para saber se realmente ele gostava de mim. Mas suas palavras me surpreenderam.

- Querida se eu realmente não gostasse de você, eu nao teria te procurado quando você sumiu.  Se eu nao gostasse de você eu não estaria aqui sentado nessa mesa tentando te levar de volta para casa.

Querida?  Me procurado?  Quem é você aqui na minha frente e o que fez com o Justin Bieber que eu conheço?  Por uma parte eu acreditei em seus olhos.  Meu coração disparou mas eu não podia dar o braço a torcer.

- Então seu objetivo é me levar para casa?  Mas não foi você mesmo que me mandou embora?  Me humilhou e fez o que poderia fazer comigo e ainda quer que eu volte?  Francamente Justin.

- Se você não quer acreditar que eu realmente estou aqui,  falando que gosto de você ai o problema já é seu.  Não vou te obrigar a voltar como antigamente eu faria. Vou embora hoje a noite, se você se decidir o endereço é esse aqui.  -um garçom passou do nosso lado e o Justin pediu uma caneta e anotou o endereço em um guardanapo- Espero que você se decida,  esteja lá antes das sete.

Ele retirou sua carteira do bolso e colocou algumas notas em cima da mesa para pagar a nossa bebida.  Tenho certeza que pela quantia que ele havia deixado daria para pagar muitos daqueles.  Ele se levantou e não disse mais nada e caminhou em direção à saída me deixando ali plantada,  sozinha e foi embora.
MERDA! Não era isso que eu queria. Eu o amava,  e ele havia me falado que gostava de mim. Tudo bem que eu não deveria acreditar.  Mas seus olhos não haviam mentido para mim. Eu estava confusa, eu precisava conversar com Anny. Eu o amava mas olhando todas as  coisas que ele já me fez, eu não devia voltar,  mas também tínhamos vividos momentos bons. 

"– Me abraça justin!
– Você disse pra eu não fazer nada!
– É só um abraço.
– Tudo bem!- me abraçou"

"Não sei o que me deu, puxei Justin pela nuca o dando um beijo e deitei sobre seu peito, não queria perder essa sensação, não queria que o Justin frio e grosso voltasse. Eu estou com medo!
– Você é muito bom nisso! - eu disse , ele riu.
– Eu sei! - ele beijou minha testa.
– Justin.
– Foi divertido! - ele sorriu olhando para o teto.
Levantei minha cabeça o olhando
– O que acontece agora?
– Nada! - ele riu
– Cada um vai para o seu canto?
– É!
– Justin é a minha primeira vez!
– Kylie, você quer o que? Que eu case com você?"

Droga. Eu não queria me lembrar,  Eu não queria ter encontrado ele de novo para tudo isso voltar. Eu não sabia se as coisas seriam diferentes,  não sabia se ele havia melhorado seu jeito de ser,  ou se ainda era o mesmo filho da puta de sempre.  Me levantei e sai dali antes que eu começasse a chorar relembrando tudo o que vivi com ele. Peguei meu celular e liguei para o taxi. Eu não estava bem hoje, mais emotiva do que o normal.  Uma saudade fora do normal da minha irmã estava me dominando,  o que será que aconteceu com ela?  Eu não tinha notícias.  Será que ela havia conseguido se suceder nesse ramo de modelo?  Mas eu não tinha visto nenhuma revista com a sua foto.  Eu tinha que procurar saber o que havia acontecido com ela. Deveria procurar na internet o número do orfanato em que eu ficava para saber se ela tinha aparecido por lá. Eu precisava me decidir,  mas eu não poderia ir caso ele não tivesse mudado nem um pouco. Perdida em meus pensamentos eu nem tinha percebido que o táxi tinha chegado. 

Entrei dentro do mesmo e dei o meu endereço. Durante o caminho liguei para Anny pedindo para ela me encontrar na minha casa mas ela pediu para que eu fosse para sua casa. Falei com o taxista e não houve problemas pois ele não precisou fazer nenhum retorno. Ainda era 4:30 da tarde. Eu tinha tempo para me decidir,  chegamos rápido dela,  paguei o táxi e saí. Toquei no interfone e ela liberou a minha entrando.
Anny morava em um pequeno apartamento,  quando eu digo pequeno é pequeno mesmo.  O apartamento havia mais roupas espalhadas para todo lado do que tudo.  Mas eu não me importava. Bati na porta e ela abriu a mesma com uma cara de sono.

- Oi. Estava dormindo?

- Não,  apenas descansado.  - ela abriu mais a porta dando passagem para que eu entrasse e assim eu fiz. Caminhei em direção ao seu quarto e estava completamente escuro devido a cortina fechada, era iluminado apenas pela luz da TV.

- Precisamos conversar. - Eu disse sentando sua cama tirando meus sapatos e logo deitando na mesma me embrulhado debaixo das cobertas.

- Bom... Isso tem algo haver sobre você ter ido embora ontem cedo?  - como ela sabia?

- Sim.

-  E  isso tem algo haver sobre o Justin?  -arregalei meus olhos, merda como ela sabia 2.

- Como você sabe?

- Kylie eu não sou burra. Pelo pouco que você descreveu o Justin para mim, eu sabia que era ele com você subindo as escadas. - ela me olhou.

Que vergonha meu Deus. Expliquei toda a história para ela e ela me escutou calada,  eu  precisava de um conselho.  Droga meu tempo estava acabando,  precisava me decidir. Até que finalmente ela abriu a boca.
- Bom sobre o que você já me falou sobre ele,  eu não tenho uma boa referência dele, mas eu sei que você é completamente louca por ele,  mas não vai saber se ele realmente mudou se não tentar.

Ela realmente tinha razão,  poderia ser uma das maiores burradas que eu já fiz na minha vida,  mas não saberia se não tentasse. Já era 6:00 da tarde e eu precisava correr para arrumar minhas coisas. Chamei Anny para me ajudar a arrumar minhas coisas e logo partimos.
Chegando no meu quarto começamos a arrumar as malas,  apenas jogávamos as coisas dentro da mala,  não daria tempo. Faltava colocar só os sapatos e Anny disse que daria conta de fazer isso sozinha e logo entrei para o banheiro para tomar um banho mais rápido de toda a minha vida. Aproveitei e já peguei minhas coisas que estavam no mesmo colocando também dentro da mala. Anny havia terminado de arrumar as coisas e no momento estava ligando para o táxi.  Já eram 6:50 eu tinha apenas dez minutos para fazer meu check-out aqui onde estava hospedada.

Demos uma última olhada no quarto para saber se estávamos esquecendo algo,  é não,  não tínhamos esquecido nada.  Descemos com a mala e fiz meu check-out,  é para minha sorte o táxi já estava me esperando. Eu não queria me despedir de Anny pois não queria perder contato.

- Olha,  não se esqueça de,  por favor. Vá me  visitar sempre que puder,  eu te amo muito amiga,  nunca se esqueça disso.

- Eu que te peço para nunca se esquecer de mim- nos abraçamos,  e ela me deu um beijo na bochecha- Eu também te amo,  agora vai você está mais que atrasada.

- Tudo bem. - meu olhos estavam cheios d'água,  odeio despedidas. Entrei dentro do táxi e entreguei o papel para o taxista. Droga,  eu não vou chegar a tempo, se isso acontecer é sinal que isso que eu estou fazendo uma burrada. Chegamos no lugar e era um lugar bastante isolado,  um aeroporto clandestino,  ah claro. Paguei o táxi e desci do mesmo,  o taxista me ajudou com a mala e logo comecei a andar pelo lugar.  Não podia ser,  não tinha nada,  ninguém,  não havia uma pessoa se quer ali.

- Justin?  -chamei por seu nome,  mas nada. Ele já havia partido. - Droga, eu não podia ter chegado 5 minutos mais cedo?  Não é possível, que eu seja tão azarada à esse ponto de perder a hora marcada com o homem que eu amo,  talvez fosse uma chance de resolvermos as coisas e concertar tudo mas,  por uma ironia do destino justamente hoje eu tinha que perder a hora e me atrasar. Queria apenas que tudo desse certo. Ah Justin eu te amo tanto porque tudo tem que conspirar contra?
Sentir braços me envolverem e logo uma voz rouca sussurrou.

- Pensei que não viria e a propósito,  é bom saber que sou o homem da sua vida.

29 de nov de 2014

Thug Love - Capítulo 35 - Do you like me?

                              

 "Estava com saudades", essas três palavras não saiam da minha cabeça. Saudades de mim ou do meu corpo? Do meu corpo, ele nunca sentiria a minha falta. Céus como fui burra, estou com nojo de mi mesma por ter me entregado a ele. Eu não o respondi, levantei de seu colo e comecei a juntar as minhas roupas e me vestir. A pior coisa do mundo é o sentimento de arrempedimento, eu o queria e não o queria ao mesmo tempo. Eu estava morta de saudades mais porra, ele só me machuca, só me destrói, nunca que corresponderá o sentimento que eu sinto por ele, eu me sinto uma idiota. Burra, você é uma burra 

- O que está fazendo? -ele perguntou. 

- Indo embora.

- Ei as coisas não são assim, você não irá embora, você nunca deixou de ser minha refém. -ele se levantou do sofá e começou a vestir suas roupas também. 

- JUSTIN CHEGA TA LEGAL? VOCÊ ACHA QUE EU FUI EMBORA POR QUAL MOTIVO? EU ESTOU FARTA! 

- PARA QUÊ VOCÊ ESTA GRITANDO PORRA? FICOU LOUCA? EU ACABEI DE FODER VOCÊ PARA ESTAR COM ESSE MAL HUMOR TODO E VOCÊ QUERENDO OU NÃO IRÁ EMBORA COMIGO.

- ACABEI DE FODER VOCÊ? QUAL É JUSTIN?! EU NÃO SOU QUALQUER UMA, NÃO SOU ESSAS VAGABUNDAS QUE VOCÊ TRANSA POR AI PARA VOCÊ FICAR JOGANDO NA CARA QUE ACABAMOS DE TRANSAR. EU CANSEI DE SER O SEU BRINQUEDINHO, ME CANSEI DE VOCÊ. 

- NÃO FOI ISSO QUE VOCÊ DEMOSTROU GEMENDO O MEU NOME A MINUTOS ATRÁS. 

Ele realmente deve esta achando que sou alguma de suas putinhas, eu não iria deixar ele me ofender assim, não hoje, eu posso estar ferida o que for, mas hoje ele não irá me rebaixar. Caminhei rapidamente em sua direção e fiz o que eu estava com vontade de fazer a muito tempo, lhe acertei um tapa em seu rosto e comecei a distribuir socos e tapas pelo seu peito desnudo. Ele não reagia, ainda estava processando o tapa que eu havia dado em seu rosto.

- EU TE ODEIO. -disse ainda lhe dando tapas em seu peitoral.

Ele juntou as minhas mãos e logo nos encaramos, sei que os meus tapas e socos não lhe causariam nenhum efeito mas eu estava com muita raiva dele naquele momento. Eu estava ofegante devido ao meu esforço e logo a minha respiração começou a se regularizar. Ficamos nos encarando até que eu puxei meu braço com força e fui atrás dos meus saltos. Ele não abriu a boca, ótimo!

- Bom, já que acabou com o seu chilique, eu quero ter uma conversa descente com você -ele caminhou até a mesa que havia naquele escritório, pegou um papel e uma caneta e anotou algo e logo me entregou. Era um endereço - Espero você amanhã as duas, caso você não apareça por lá você sabe, eu te procuro até dentro do esgoto. Termine de se arrumar eu estou descendo. -ele pegou sua camisa, se vestiu, abriu a porta e saiu fechando a mesma logo em seguida.

A sua paciência e a clama com que ele estava falando me assustou, ele não havia feito nada, eu tinha lhe dado um tapa na cara e ele não fez nada comigo. Guardei o papel dentro do bojo do meu vestido, arrumei o meu cabelo e depois de cinco minutos mais ou menos, eu desci. Eu não iria ficar aqui, não queria ve-lo novamente e ainda por cima com várias putas rebolando para ele. Desci aquelas malditas escadas e caminhei em direção a saida que parecia mais distante que nunca. Eu teria que pegar um taxi, já que vim com Anny, e bem, assim que chegasse em casa enviaria uma mensagem para ela para não ficar preocupada. Saí da boate e me assustei ao ver que ainda havia fila do lado de fora, para a minha sorte, um grupo de meninas e meninos estavam descendo de dentro de um taxi na porta da boate. Assim que eles desceram eu coloquei minha cabeça um pouco mais perto do vidro do carro e perguntei ao taxista se estava livre, ele assentiu e eu entrei no baco de trás. Durante o caminho enviei uma mensagem para Anny dizendo que eu estava bem e que estava indo para casa. Tirei o papel de dentro do vestido e fiquei observando sua caligrafia naquele pequeno pedaço de papel. Eu não queria ir, não queria ser uma otária novamente. Mal tinha percebido de já estávamos entrando na rua onde eu estou morando. Paguei o taxi e logo saí do veículo.

Assim que entrei logo fui tirando meu vestido e fui em direção ao banheiro. Liguei o chuveiro e deixei com que a pressão da água me fizesse relaxar. Me sentei no chão e deixei com que a água caísse sobre mim e pensei em tudo que aconteceu em tão pouco tempo. Burra, eu sou uma burra, na primeira vez em que o encontro logo já vou me deitar com ele. Burra, mil vezes burra!

Terminei o meu banho, logo me troquei e me deitei na cama. Eu não tinha me decidido ainda, eu não queria o encontrar novamente pois todas aquelas sensações que eu fugi irá aparecer de novo. Mas por outro lado precisávamos resolver nossos assuntos. Eu precisava esclarecer tudo, realmente precisávamos conversa para esclarecer tudo para não ter falsas expectativas. Me virei para o lado descida, eu iria encontra-lo. 


Digamos que eu não tenha tido uma das melhores noites de sono da minha vida, pois meu corpo já estava em desespero ao saber que encontraria Justin Bieber novamente  Me levantei arrumei meu quarto, tomei um banho e saí em direção a lanchonete que havia na esquina da rua para tomar o meu café. Me sentei em uma das mesas que ali havia e fiz o meu pedido. Logo o mesmo chegou e eu comecei a comer, eram nove da manhã, cedo demais para quem trabalhou a semana toda e chegou tarde de uma boate na noite passada. Tomei meu café enquanto mexia em meu celular vendo a resposta de Anny de ontem. Terminei o meu café e logo fui para casa de novo. Tirei meus sapatos e me deitei na cama na esperança de conseguir dormir um pouco novamente. Acordei com o barulho insuportável do meu celular tocando, era Anny. 

-Alô? -ela disse.

-Oi Anny. 

-Ei, o que houve? Que voz é essa?

-Não é nada, você acabou de me acordar.

-Ah sim! Por que foi embora ontem?

-Eu te disse, estava cansada. 

-Como foi embora? Esta tudo bem mesmo?

-Sim Anny, está. Eu peguei um táxi na porta da boate.

-Menos mal. O que vai fazer hoje a tarde? -ela perguntou, merda.

-Bom, eu não sei, talvez eu fique em casa vendo alguns filmes. -menti.

-Nada disso, quero você aqui em casa, chega de momentos depressivos.

- Não Anny, sério eu estou bem, só quero ficar em casa quieta, descansando. -Escutei ela dar um suspiro do outro lado da linha e logo me responder. 

-Bom, tudo bem, eu tentei. Fique bem, boa tarde amiga.

-Boa tarde Anny. -ela desligou.

Não gosto de mentiras, mas eu não poderia falar para Anny que eu iria sair com Justin, ela daria um ataque. Olhei no meu celular e já marcava meio dia e quarenta, dormir demais, mas meu corpo agradece. Me levantei da cama e fui em direção ao banho para tomar um banho, me despi e liguei o chuveiro entrando de baixo do mesmo, deixando com que aquele jatos de água caissem sobre a minha pele, tomei um banho de quase vinte minutos. Entrando dentro do quarto, eu não sabia qual roupa eu iria vestir, não fazia ideia de onde era o lugar em que Justin estava falando no endereço, optei por um vestido branco, hoje não estava tão quente, coisa que é rara aqui. Terminei de me arrumar e já eram uma e meia quando fiquei pronta, liguei para o táxista que eu havia o número e logo ele já estava aqui. Entrei dentro de seu carro e lhe entreguei o papel com o endereço que Justin havia escrito, durente o percurso fiquei olhando pela janela imaginando no que daria essa conversa, o que Justin tinha para mim falar. Eram tantas dúvidas que eu tinha que não saberia se ele iria me responder, e se esse me sequestrar e me levar de volta com ele novamente?

O carro foi parando e log estavamos em frente a um restaurante, não era nada chique, porém aconchegante, paguei o taxi e entrei. Meu coração disparou assim que o vi sentado em uma mesa afastada mexendo em seu celular, de cabeça abaixada e com seu boné para trás. Sempre de boné. Caminhei em direção a mesa e me sentei, ele tomou um susto ao me ver sentada em sua frente, logo guardou o seu celular.

- Achei que não iria vir.

- Precisamos esclarecer algumas coisas, e eu não me arriscaria caso eu não viesse, não me esqueci da sua ameaça.

-Boa garota, bom o que vamos beber? –ele disse pegando o menu e olhando o que nele havia.

- Justin, eu vim aqui apenas para conversamos, não quero beber nada.


Ele ficou calado, me ignorando, parecia que ele não havia me escutado mas eu sei que sim. Ele logo levantou seu dedo chamando o garçom.

- Bom traga para mim um suco de laranja e um whisky.

- Isso é tudo senhor? –perguntou o garçom anotando o pedido.


-Sim. –ele disse ao garçom que logo se retirou.

-Eu te disse que não queria nada. 

-Bom, eu queria saber o motivo para que você fugiu de mim. -ele me ignorou mais uma vez, Deus como ele é irritante, já começando a me arrepender de ter vindo a esse maldito lugar, eu o respondo.

-Olha, eu ficaria grata caso você parasse de ignorar as coisas que eu falo com você, e respondendo a sua pergunta, fui embora porque estava farta de suas mentiras, cansada de ser seu brinquedo, de ser qualquer uma para você Justin, qual é Justin? Na sua vida não tem espaço para mim, eu e você sabemos disso, na sua vida a sua favorita sempre vai ser a Jessie, ela sempre será o nosso empecilho, eu realmente me cansei.

-Kylie, as coisas não são assim, Jessie não é um empecilho, eu me conformei, sei que ela é minha irmã e que nunca teremos mais nada.

-Eu não acredito em você.

- Porra, é tão difícil assim? Porra Kylie eu fiquei igual um louco atrás de você quando cheguei naquele bendito apartamento e descobri que você não estava mais lá. Eu fiquei muito muito nervoso, eu briguei com Chaz porra, eu briguei feio com ele, aconteceu tanta coisa e merda, todos lá sentem a sua falta.

-Você brigou com o Chaz? 

-Sim.

-Brigou como?

-Brigar de porrada. -bom não tinha ficado surpresa ao saber que ele e Chaz tinham brigado, mas de porrada sim, arregalei meu olhos e ele soutou um risinho ao olhar minha expressão. Olhando para ele agora, dando esse sorriso nem parece que é um bandido e que já matou várias pessoas. Logo o garçom chegou novamente com o pedido de Justin. - Bom mas nossa briga não vem ao caso.

-Como vai Caitlin? 

-Bem, digamos. 

-Por que? 

- Não conversamos faz algum tempo. -murmurei um "hum" e fiquei encarado ele enquanto tomava um pouco do meu suco, e ele pegou seu celular que vibrou em cima da mesa olhando o que havia chegado para ele. Chegava a ser engraçado, ontem tínhamos tido uma briga no nosso "reencontro", eu fugi dele durante meses e estamos aqui agora, sentados em uma mesa de um restaurante tendo uma conversa "comum". Mas eu tinha uma única pergunta, a que eu queria perguntar olhando no fundo de seus olhos, para saber se rua resposta seria mais uma de suas mentiras ou não. 

-Justin. 

-Oi - ele levantou seu olhar e ficou me encarando. 

-Você gosta de mim?

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Continua?

Bom, aqueles que jogaram 1001 pedras em mim, saibam que eu estava doente e não postei antes por causa disso, eu não tive uma melhora 100% mas em vista de como estava de sexta-feira até o meio dessa semana estou melhor. Obrigada a todas as meninas que me procuraram no twitter, muitas delas as vezes não queriam nem saber a data de quando eu iria postar e sim saber se eu estava melhor. 
Obrigada Geovanna, por me chamar quase todos os dias, você é um amor. 



E por favor, sem brigas no comentários. Agora todo capítulo eu vou deixar uma pergunta para vocês com o objetivo de conhecer um pouco de vocês. Bom aos anônimos que forem responder as perguntas, coloquem o nome no final da resposta. 

PERGUNTA: VOCÊS ALÉM DE SEREM BELIEBER, PARTICIPAM DE OUTRO FANDOM? SE SIM, QUAL? JÁ FORAM EM ALGUM SHOW DO JUSTIN OU DE OUTRO ÍDOLO SEU?

Minha resposta: Eu sou apenas Belieber, não consigo fazer parte de outro fandom, sofro pelo Justin o que sofreria por 10, e não nunca fui em um show dele, eu ganhei o ingresso para a BT mas não fui, porque o show era no domingo e ganhei na sexta, fora que moro em Belo Horizonte- MG. Então não daria para programar uma viagem, resumindo, chorei mais de 15 dias.

Bom, agora vou voltar a postar normalmente, terça e sexta (ou sábado como eu já havia falado). 
Como eu disse na medida em que os comentários forem aumentando eu vou postando capítulos maiores e mais vezes na semana.

Não se esqueçam de VOTAR no Justin com a tag :  Justin Bieber em todos os seus tweets no twitter.


COMENTEM O QUE ESTÃO ACHANDO E A FANFIC DE VOCÊS QUE NO PRÓXIMO CAPÍTULO IREI DIVULGAR . 
ATÉ TERÇA ♥

19 de nov de 2014

Thug Love - Capítulo 34 - Fully delivered



"Algumas coisas são apenas inesperada"

POV Kylie

Não, não podia ser, não. Porra, não! Não podia ser ele, mas eu conhecia o seu toque, mas achei que poderia ser um blefe meu, mas não, era ele, realmente era ele. Estremeci quando escutei sussurrando em meu ouvido, por mais que a música seja ensurdecedora, eu pode lhe escutar perfeitamente "Achei você princesa", isso não podia estar acontecendo. Eu fiz de tudo para me esconder, fiz de tudo para me afastar e da noite para o dia, o encontro dentro de uma boate. Será que esse tempo todo ele sabia onde eu estava? Será que ele estava me perseguindo? Deixa de ser tola Kylie, ele não perderia o seu precioso tempo para procurar ou perseguir você. Eu não queria me virar para encarar o seu rosto, não mesmo, todos aquelas sensações eu iria sentir ao olhar seu olhos; pernas bambas, borboletas no estomago e a falta de controle sobre mim mesma. Mas foi em vão, ele me virou bruscamente para encara-lo e colocou nossos corpos. Deus como ele estava mais lindo do que já é.

- Finalmente Kyky!

- Como me achou aqui?

- Destino quem sabe?

- Poupe-me Justin, destino?

- É claro! Não acredita nessas porras todas?

- Claro que não, o que faz aqui? -Kylie, você é burra ou oque? É claro que ele veio aqui pra vadiar retardada, como eu sou imbecil.

- Meio óbvio, não?

- Olha eu vou te ped...

Ele não me deixou terminar de falar e me atacou com os lábios, que saudades dos seus beijos, que saudades de sentir essa sensação novamente. Ainda estavamos apenas dando um longo selinho, mas logo ele pediu passagem e eu cedi. Podem me chamar de burra, eu sei mas o cara em que eu sou completamente apaixonada estava aqui, pedindo passagem para um beijo, um beijo em que eu não tenho a meses. Suas mãos foram para minha bunda enquanto eu estava com as minhas pousadas em sua nuca arranhando levemente. Logo o nosso beijo começou a ficar mais quente e  as coisas estavam indo para o outro lado. Soltei um gemido assim que Justin sugou a minha língua e encerrou o beijo com um selinho.

-Vem comigo.

Ele segurou em minha mão e saiu me puxando no meio daquela multidão, Justin parou conversou com um cara que eu não faço a mínima ideia de quem seja, que o mesmo lhe entregou uma chave. Subimos em direção a uma escada que tinha ali que eu ainda não tinha reparado na sua existência. Subimos, havia vários portas ali, Justin abriu uma delas e entramos, era um escritório. Eu sabia o que ele queria, mas eu não iria transar com ele de cara assim. Se eu fugi, era para não termos mais qualquer tipo de contato, eu errei sei que errei lhe dando aquele beijo lá em baixo, mas isso não irá se repetir. Assim que entramos caminhei em centro do escritório enquanto ele terminava de trancar a porta.

- Olha, se você esta achando que eu vim aqui para transar com você, você está completamente enganado. 

- Ah é? Então por que aceitou me acompanhar se já sabia o que eu queria? - ele disse caminhando em minha direção. Merda, nem eu mesma sabia o por que.

- Porque...porque eu queria conversar com você. - disse completamente perdida.

- Ah sim conversar. -ele disse parando em minha frente e me puxando pela cintura para ele. Não Justin, não faça isso merda!

- Ju..Justin me largue por favor! -péssima hora para gaguejar.

- Por que esta gaguejando Kylie? Ah alguma coisa de errado? Vamos apenas conversar como você disse.

- Justin, eu te peço me largue.

Ele colocou suas mãos em minha nuca e me puxou para um beijo, no início eu tentei recusar, coloquei minhas mãos em seu peito e tentei o empurrar mas foi em vão. Com uma mão em minha nuca e a outra em minhas mãos ele foi me empurrando em direção ao sofá. Tudo o que eu havia falado estava por água abaixo, eu estava completamente entregue, havia me entregado, seu beijo tinha um efeito completamente surpreendente sobre mim. Comecei a retribui aos seus beijos e aos poucos ele foi soltando as minhas mãos, coloquei as mesmas em sua nuca o puxando para minha. Nosso beijo era um beijo de saudade misturado com o de desejo, e por minha parte um pouco de paixão, sua língua explorava a minha boca, logo ele sugou a minha língua e gemi. Ele me jogou no sofá e logo estava em cima de mim, desceu seus beijos para o meu pescoço e começou uma série de beijos, mordidas e logo assim que dava uma mordida, passava sua língua por cima enquanto eu dava leve gemidos. Levei minhas mãos na barra de sua camisa e a tirei passando minhas unhas em suas costas. Suas mãos estavam inquietas em minha costas.

- Onde abre essa merda? -ele disse já impaciente soltei um risinho fraco.

- Do lado.

Logo suas mãos foram para a minha cintura e eu sentir o feixe do meu vestido ser aberto. Ele logo se livrou do mesmo e começou a descer seus beijos para o meu busto, Justin deu uma série de beijos ali, arqueei as minhas costas e logo ele liberou o meu sutiã, Justin foi descendo os seus beijos em direção ao meu seio direito e logo passou sua língua em meu mamilo o deixando rígido, começo uma série de sucções, ele literalmente estava me mamando, eu fazia de tudo para não gemer mas estava ficando difícil, ele deu uma leve mordida no meu bico e fez o mesmo processo no meu seio esquerdo. Foi descendo os seus beijos para a minha barriga e parou em meu umbigo colocando sua língua ali e retirou a minha calcinha. Desceu seus beijos para a minha virilha e logo sua língua já estava em meu pontinho de prazer, Justin dava pinceladas e logo soltei um gemido, não consegui segurar, ele me penetrou um dedo e continuou com a sua língua onde estava, logo ele me penetrou o segundo e começou a move-los dentro de mim e um movimento de vai e vem. Coloquei as minha mão em sua cabeça o emburrando para mim, ele não podia parar não agora. Estava quase lá, Justin percebeu e aumentou o ritmo de seus dedos e de sua língua. Me libertei em seus dedos gemendo, ele desceu  sua boca e logo sugou todo o meu líquido. 

Justin foi subindo seus beijos e sussurrou em meu ouvido.

-Deliciosa.

Justin se levantou tirando sua calça e sua cueca, retirando de sua carteira um pacote de camisinha, ele logo a abriu e colocou em seu membro ereto e se deitou por cima de mim me penetrando. Mordi meus lábios reprimindo um gemido e logo ele começou a entocar com força. Justin dava forte bombadas, a música no escritório era abafada, e o único som que ali havia era o de nossos corpos se chocando um no outro. Justin se debruçou por cima de mim e disse com uma voz mais rouca do que o normal.

-Geme pro papai, geme. -Ele retirou seu membro lentamente de dentro de mim e me penetrou com força. Não dava para segurar, não mais.

- Ah...Justin!

- Isso..geme o nome do papai. 

Ele continuou com os mesmo movimentos por algum tempo, logo o emburrei e ele se sentou no sofá, me sentei em seu colo penetrando seu membro em mim e logo comecei a rebolar em seu colo e suas mão pousaram em minha cintura me ajudando com os movimentos.

- Isso Kylie... assim. -ele gemeu.

Era a melhor coisa poder lhe dar prazer, poder ouvi-lo gemendo o meu nome. Estávamos quase lá, aumentei o ritmo e logo minha vagina se contraiu e minhas pernas bambearam, meu líquido desceu queimando sobre o seu membro. Não parei com os movimentos, por mais exausta que eu estava. Logo Justin chegou ao seu limite também. Afundei minha cabeça em seu pescoço sentido o seu cheiro, ele estava suado mas ainda podia sentir o cheiro do seu perfume. Ele rodeou seus braços em minha cintura e ficamos assim por um longo tempo, calados e com o seu membro ainda dentro de mim. Então ele logo abre a boca quebrando o silêncio.

- Estava com saudades.



~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Continua?

Me desculpem não ter postado ontem, é que tive que comprar um tanto de coisa e fazer um tanto de coisa para a feira gastronômica da minha escola.  
Me superei com esse capítulo, tentei dar o meu melhor, com o tempo acho que vou me aprimorando com os capítulos HOT. Espero que tenham realmente gostado.

Como eu disse na medida em que os comentários forem aumentando eu vou postando capítulos maiores e mais vezes na semana.

Não se esqueçam de VOTAR no Justin com a tag :  Justin Bieber em todos os seus tweets no twitter.

COMENTEM O QUE ESTÃO ACHANDO, É IMPORTANTE PARA MIM. COMENTEM O QUE ACHARAM DO CAPÍTULO POR FAVOR AMORES. 
ATÉ SÁBADO ♥